Vamos aproveitar a oportunidade?

O mundo será muito diferente após superarmos este momento crítico provocado pela pandemia do Covid19. Pelo menos para uma boa parte da população mais consciente, mais madura e esclarecida. Teremos reflexões importantes que deverão orientar o consumo futuro, levando em consideração a origem dos produtos, a fonte das matérias primas, a forma que são produzidas e a confiabilidade das marcas. O fast fashion perderá espaço para um consumo mais consciente, onde os produtos deverão ter vida útil maior. As pessoas deverão dar mais valor para marcas e produtos sustentáveis do que já vem ocorrendo.

Claro que uma grande parcela dos consumidores irá comprar levando em consideração apenas o preço. Ainda mais com a grande massa de trabalhadores que se somou ao índice já existente de desempregados antes da quarentena decretada pelos governantes. Estas pessoas, com as finanças muito debilitadas, irão adquirir somente itens de primeira necessidade como comida e algumas peças de vestuário, incluindo calçados. Tudo o mais poderá passar a ser supérfluo.

Mas outra consequência que imagino deverá ocorrer é o retrocesso da globalização. Não sei em que nível, mas as pessoas passarão a viajar menos, a realizar negócios prioritariamente de forma virtual e intensificar o turismo doméstico. Poderá ocorrer inicialmente uma aversão a produtos oriundos da China. Já se percebe uma significativa manifestação deste fenômeno nas redes sociais. Se isto irá se transformar em ações concretas, só o tempo dirá. Mas talvez esta nova possível realidade traga uma grande oportunidade para o calçado brasileiro retomar um grande espaço no mercado norte americano e na União Europeia.

O setor calçadista do Brasil, apoiado pela Apex e outras instituições de fomento nacionais, poderia iniciar uma campanha neste mercados promovendo os produtos fabricados no Brasil, ressaltando a qualidade dos produtos, a proximidade geográfica com os países compradores, a similaridade cultural e a confiabilidade dos negócios. Seria um excelente momento para voltar a atenção dos consumidores americanos e europeus para os produtos brasileiros, retomando e até ampliando volumes exportados para seus países no passado. E o câmbio nunca esteve tão favorável.

Autor: Luís José Coelho